Educação inclusiva: desafios da formação e da atuação em sala de aula

Postado em 20/02/2019

Educação inclusiva: desafios da formação e da atuação em sala de aula

Além de aprender a adaptar o planejamento e os procedimentos de ensino, é preciso que os educadores olhem para as competências dos alunos, e não apenas para suas limitações. Daniela Alonso, psicopedagoga especialista em Educação inclusiva, destaca a importância de que formação inicial e continuada estejam conectadas ao cotidiano escolar

Educação especial deixou de ser vista como sistema paralelo

O sistema educacional brasileiro passou por grandes mudanças nos últimos anos e tem conseguido cada vez mais respeitar a diversidade, garantindo a convivência e a aprendizagem de todos os alunos.

As práticas educacionais desenvolvidas nesse período e que promovem a inclusão na escola regular dos alunos com deficiência (física, intelectual, visual, auditiva e múltipla), com transtorno global do desenvolvimento e com altas habilidades, revelam a mudança de paradigma incorporada pelas equipes pedagógicas. Essas ações evidenciam os esforços dos educadores em ensinar a turma toda e representam um conjunto valioso de experiências.

A educação especial como modalidade de ensino ainda está se difundindo no contexto escolar. Para que se torne efetiva, precisarão dispor de redes de apoio que complementem o trabalho do professor. Atualmente, as redes de apoio existentes são compostas pelo Atendimento Educacional Especializado (AEE) e pelos profissionais da educação especial (intérprete, professor de Braille, etc.) da saúde e da família.

No artigo "Da Educação segregada à educação inclusiva: uma breve reflexão sobre os paradigmas educacionais no contexto da educação especial brasileira", Rosana Glat e Edicléia Mascarenhas Fernandes explicam: "Neste contexto é que se descortina o novo campo de atuação da Educação Especial. Não visando importar métodos e técnicas especializados para a classe regular, mas sim, tornando-se um sistema de suporte permanente e efetivo para os alunos especiais incluídos, bem como para seus professores. Como mencionado, a Educação Especial não é mais concebida como um sistema educacional paralelo ou segregado, mas como um conjunto de recursos que a escola regular deverá dispor para atender à diversidade de seus alunos."

Outras Notícias

 

O que fazer com os filhos nas férias?
Postado em 19/04/2019

Ele pode continuar aprendendo longe da escola e, o que é mais importante, estreitar laços afetivos que ficam um pouco esquecidos na correria do período letivo.

As férias se aproximam e os pais já começam a se desesperar: o que fazer com tanto te...
leia mais »

Os perigos da adultização das crianças
Postado em 12/04/2019

Nos tempos atuais, as crianças estão se tornando pequenos adultos. Cada vez mais cedo, as crianças assumem responsabilidades, disputam competições e tentam se tornar cada vez mais competentes.

Pipocam no comércio artigos à venda para o p&...
leia mais »

Como ajudar seu filho a se organizar com os estudos
Postado em 05/04/2019

A maneira como a criança interage e se relaciona com o conhecimento está intimamente relacionada com a abordagem familiar em relação aos estudos. A família, por ser considerada a primeira esfera socializadora para as cri...
leia mais »